MDinforMAções

Este é um fórum de REDUÇÃO DE DANOS que reúne relatos, testes e informações sobre @s de MDMA, uso consciente e o risco de @s adulteradas. Qualquer postagem relacionada à sua venda será EXCLUÍDA e o autor BANIDO. Registre-se e acesse o conteúdo completo!


    Efeitos agudos durante o uso de MDMA

    Compartilhe
    avatar
    Ehcsztein

    Mensagens : 36
    Data de inscrição : 04/08/2016

    Efeitos agudos durante o uso de MDMA

    Mensagem por Ehcsztein em Sex 05 Ago 2016, 11:17

    Os efeitos podem começar tão cedo quanto 15 minutos, ou tardar até uma hora. O "ataque" (onset) pode vir lentamente, até assumir força total, ou mesmo "bater de vez". Muitas pessoas relatam, durante este "ataque", uma sensação de formigamento na pele, calor ou frio, ou pequenas ondas de energia ou prazer fluindo pelo corpo. Alguns sentem-se bastante ansiosos. Quando ela atinge os efeitos máximos, hiperatividade e um efeito analgésico central poderoso são comumente vistos, assim como um efeito ansiolítico não-sedante.

    Muitos dos efeitos do MDMA parecem-se bastante com aqueles dos estimulantes (como a cocaína e a anfetamina), incluindo aumentos auto-relatados no humor positivo, na auto-estima e na atividade mental e corporal. Os psicoestimulantes são caracterizados, por muitos voluntários, por euforia e aumento no afeto positivo, sentimentos de vigor e de alerta, auto-estima aumentada, ansiedade ocasional, e efeitos cardiovasculares, como pressão alta.

    Já as alterações sensoriais e perceptuais que o MDMA produz são modestas, se comparadas com outros alucinógenos; primariamente, uma intensificação das cores e da consciência tátil, e uma mudança na qualidade dos sons. Estas alterações são modestas no sentido de que não provocam um estranhamento em si. As cores são mais brilhantes - as pupilas se dilatam bastante, embora o reflexo pupilar continue presente. A qualidade do som modifica-se positivamente: de acordo com uma pessoa, "Bach fica indescritível".

    A consciência tátil é impressionantemente afetada. Atividades como passar a mão por diversas superfícies, esfregar uma mão na outra, ou no próprio corpo, ou de outra pessoa, até abraços, carinhos, cafunés, beijos e demais amassos tornam-se bastante prazeirosos e reforçadores. A sensação da cânfora e do mentol, inalado, soprado ou massageado em várias partes do corpo encontra muitos adeptos nas raves. Dedos corridos pelo rosto e pelo corpo deixam "rastros" atrás de si, rastros que permanecem por vários segundos ou minutos.

    Além da mudança na qualidade do som, há um aumento na percepção da qualidade física do som, relacionada com a consciência tátil. As vibrações acústicas dos sons mais graves agitam bastante o ar ao seu redor, e esta sensação na pele é enormemente aumentada, descrita por muitas pessoas como literalmente ouvir a música "na pele". É cena comum ver muita gente de ouvidos grudados nas caixas de som (uma lástima para os tímpanos deste pessoal).

    A despersonalização produzida pelo MDMA é pequena, se comparada com outros alucinógenos, e se parece mais com um prazeiroso "afrouxamento das fronteiras do ego". O usuário permanece "focado" no que está fazendo, muitas vezes distraindo-se, entediando-se ou esquecendo-se com facilidade. Pode haver uma mudança na noção de tempo, leve na maioria das vezes.

    Os primeiros investigadores científicos, mesmo sem o conhecimento psicológico suficiente, surpreenderam-se com a capacidade do MDMA de ajudar pessoas a falar abertamente sobre si mesmas e seus relacionamentos, sem o condicionamento defensivo interveniente; por horas, medos e ansiedade pareciam desaparecer. Tal perfil de efeitos psicológicos justificou, para os terapeutas norte-americanos, o seu uso em um setting psicoterapêutico.

    A auto-imagem corporal parece magnífica, assim como os outros também parecem magníficos. Com MDMA puro, sujeitos relatam sentir-se em paz consigo mesmos e com o mundo, descobrindo um senso aumentado de auto-estima e auto-aceitação. Pensamentos cínicos e sentimentos "negativos" desaparecem; raiva, irritabilidade e medo também (embora usuários possam defender-se, em última instância, de agressões externas). O prazer corporal sentido é equiparado, por algumas pessoas, como se estivessem "derretendo", muitas vezes de uma forma paralisante; outros relatam "ciclos" alternantes entre prazer extremo/bem-estar físico, e euforia.

    De qualquer maneira, a mesma abertura que o MDMA promove para dentro, ele promove para fora. Em vez de proporcionar uma experiência contemplativa e solitária, de acordo com um usuário,
    você se sente completo, auto-suficiente; mas o engraçado, e o bom, é que você não quer ficar sozinho com isto; você quer dividir todo este bem-estar e felicidade com os outros.

    Os efeitos "sociabilizantes" do MDMA são um eufemismo para os efeitos entactogênicos do MDMA: o senso de proximidade, de empatia, de abertura, o dissolvimento de praticamente todos os medos e bloqueios com relação às outras pessoas promove uma valorização extra do contato social. As pessoas se tornam falantes, e conversar é uma das atividades favoritas:
    Foi incrível. Eu não posso dizer exatamente o que era, embora eu possa dizer que era aquilo que eu sempre quis para a minha vida. Estava lá no meio de todas aquelas luzes e sons, e tudo era muito bonito, mas eu me sentei em um lugar qualquer, com uma pessoa que eu estava enrolado na época, e eu me sentia completo, somente em estar sentado lá, falando com ela. Falei e escutei coisas que normalmente eu teria recuado ou bloqueado, e encarei de frente, de peito aberto, afirmações do fundo da alma dela, coisas que eu sabia que tinham um valor imenso para ela, e que normalmente ou ficariam lá, com ela, ou que viriam com uma aura de culpa ou agressividade ostensiva. E para tudo isto, eu queria muito abraçá-la, e peguei em sua mão e falei que sim, eu sentia tudo aquilo, e uma vida inteira de defesas e bloqueios desapareceu, e eu nem percebi. Não sentia falta deles, e percebi que eles nunca foram realmente sinceros, embora tenham sido sempre necessários, como eu sei que são aqui, na minha vida real. Foi uma experiência sublime, e é ela que eu procuro todas as vezes que eu tomo bala.

    Os efeitos agudos que não se relacionam diretamente com a experiência em si (ou seja, são "neutros") são vários. Os três mais comuns são falta de apetite, aperto das mandíbulas e/ou bruxismo, boca seca, taquicardia e dificuldade de urinar. Estes estão presentes, em maior ou menor grau, em todas as pessoas. Há outros bem menos ocorrentes, como tonturas, ansiedade, confusão, sudorese excessiva, entre outros.

    Por: Ítalo Verdelli

      Data/hora atual: Seg 16 Jul 2018, 22:29